Revista Crítica Histórica

CPDHis-UFAL - ISSN 2177-9961

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Número 4 Documentação Ensaio - Crise Ambiental: Ponderando a Respeito de Um Dilema da Modernidade
E-mail Print PDF

ENSAIO

 

CRISE AMBIENTAL:

Ponderando a Respeito de um Dilema da Modernidade[1]

 

AMBIENT CRISIS:

Pondering Regarding a Quandary of Modernity

 

Maurício Waldman* 

 

 


RESUMO: A questão ambiental transfigurou-se como um fato central na vida contemporânea. Nesse sentido, avaliar as especificidades da crise ambiental da Modernidade configura tema básico para compreender a questão ambiental, tanto nos seus aspectos mais amplos quanto nos específicos. Particularmente, a contraposição entre Tradição e Modernidade - que referenciam temáticas próprias no tocante à questão ambiental - conquistam relevo especial. Comparativamente, ainda que no passado seja possível identificar a irrupção de crises ambientais, essas pouco ou nada se relacionam com a crise ambiental da Modernidade. Isso porque a gênese e formas de manifestação das crises ambientais do mundo da Tradição e da Modernidade diferem em todos os sentidos. A crise ambiental das sociedades tradicionais foi demarcada pela naturalidade e a da modernidade, pela artificialidade. Ademais, a sociedade contemporânea enfrenta dificuldades manifestas em afiançar seu padrão de utilização dos recursos naturais. Basicamente em função do esgotamento das possibilidades de expansão continuada do sistema. Nesse sentido, a crise ambiental da modernidade demarca uma fronteira civilizatória, apontando para a necessidade de revisão das prioridades e das perspectivas que seriam matriciais para a própria continuidade do mundo moderno. É essa a ponderação que o texto que segue coloca como questão chave: o dilema de uma civilização que busca satisfação ilimitada com base em recursos finitos. O que impõe a revisão urgente dos seus objetivos, prerrogativas e intenções.

 

PALAVRAS-CHAVE: Tradição, Modernidade, Questão Ambiental, Tempo-Espaço, Repensar.

 

ABSTRACT: The environmental issue transfigured as a central fact of contemporary life. In this sense, to evaluate the specifics of the environmental crisis of Modernity configure basic theme in order to understand the environmental issue, both in its broader aspects and the specifics. In particular, the contrast between Tradition and Modernity - that refer to themselves in terms of thematic environmental issue - gain special importance. Comparatively, in the past is still possible to identify the emergence of environmental crises, these crises has little or nothing to do with the environmental crisis of modernity. This is because the genesis and forms of manifestation of environmental crises in the world of Tradition and Modernity differ in every way. The environmental crisis of traditional societies were demarcated by naturalness and environmental crisis of Modernity is dermacate by artificiality. Furthermore, contemporary society faces difficulties experienced in securing their pattern of use of natural resources. Mainly due to the exhaustion of continued expansion of the system. In this sense, the environmental crisis of Modernity marks a civilization frontier, pointing to the need to review priorities and perspectives that would be continued to the very matrix of the modern world. This is the weight that puts the text that follows as a key issue: the dilemma of a civilization that seeks unlimited satisfaction based on finite resources. What requires urgent review of its objectives, prerogatives and intentions. 

 

KEYWORDS: Tradition, Modernity, Environmental Issue, Time-Space, Rethinking. 

  

  

(recebido em 02/10/2011; aprovado em 01/11/2011)



[1] Paper elaborado para o IX Encontro Anual de Extensão (ENAEXT) e IV Fórum Regional de Meio Ambiente da UNOESTE, Universidade do Oeste Paulista, Presidente Prudente (SP), aos 20-10-2011.

* Pós-Doutor pelo Departamento de Geografia do Instituto de Geociências da UNICAMP. No âmbito da USP, Maurício Waldman tem graduação em Sociologia, Mestrado em Antropologia e Doutorado em Geografia. Foi Chefe da Coleta Seletiva de Lixo da Capital paulista e Coordenador do Meio Ambiente em São Bernardo do Campo. É autor de 14 livros, dentre os quais Lixo: Cenários e Desafios (Cortez Editora, 2010), publicação indicada como finalista para a 53ª edição do Premio Jabuti na categoria de melhor livro de Ciências Naturais. Atualmente, colabora com a formatação da proposta de curso de pós-graduação em Meio Ambiente da UNOESTE - Universidade do Oeste Paulista. E-mail: This e-mail address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it . Home-page: www.mw.pro.br.

Last Updated on Wednesday, 07 December 2011 20:18